Formação Contínua Reconhecida: Exoplanetas

Desde a deteção, em 1995, do primeiro exoplaneta em órbita a um outro sol, mais de 3800 planetas extrassolares foram entretanto confirmados. A grande maioria destes mundos distantes foi detetada por meio da observação de trânsitos planetários ou então através de espetroscopia Doppler. Nesta ação de formação gratuíta, dinamizada por astrónomos profissionais, pretende-se trabalhar os conceitos básicos subjacentes à deteção de planetas extrassolares, culminando na deteção de um planeta com recurso a dados científicos reais.

MODALIDADE: Ação de Formação de Curta Duração

DURAÇÃO: 5h presenciais

DESTINATÁRIOS: Professores dos grupos de recrutamento 500, 510, 520 e 550

N.º MÁXIMO DE PARTICIPANTES: 20

 

PROGRAMA

09:30—10:30  Introdução teórica: Exoplanetas e técnicas de deteção  Tiago Campante
10:30—12:00  Atividade prática I: Simulando a deteção de um trânsito planetário  Ricardo Reis
[intervalo para almoço; almoço não incluído]
14:00—16:30  Atividade prática II: Detetando um planeta com recurso a dados científicos reais  Tiago Campante, Luisa Serrano, João Camacho

 

LOCAL DE FORMAÇÃO

Planetário do Porto – Centro Ciência Viva

 

OBJETIVOS

– Introduzir a temática tão atual dos exoplanetas e das respetivas técnicas de deteção.
– Dotar os participantes de conhecimento prático no que respeita às técnicas mais comuns de deteção de planetas extrassolares.
– Dar aos participantes a oportunidade de interagirem com astrónomos profissionais.

 

FORMADORES

Daniel Folha (formador responsável)
Tiago Campante (organizador)
Ricardo Reis
João Camacho
Luisa Serrano

 

INSCRIÇÕES

> Clique AQUI.




DETALHES
Local: Planetário do Porto - Centro Ciência Viva

Dia: 2019-04-06
Hora de Inicio: 09:30
Hora de Fim: 16:30

Evento gratuito
Adicionar à minha agenda 2019-04-06 09:30 2019-04-06 16:30 Europe/Lisbon Formação Contínua Reconhecida: Exoplanetas

Desde a deteção, em 1995, do primeiro exoplaneta em órbita a um outro sol, mais de 3800 planetas extrassolares foram entretanto confirmados. A grande maioria destes mundos distantes foi detetada por meio da observação de trânsitos planetários ou então através de espetroscopia Doppler. Nesta ação de formação gratuíta, dinamizada por astrónomos profissionais, pretende-se trabalhar os conceitos básicos subjacentes à deteção de planetas extrassolares, culminando na deteção de um planeta com recurso a dados científicos reais.

Planetário do Porto - Centro Ciência Viva 1440 Planetário do Porto - Centro Ciência Viva